Área Restrita
Termos Técnicos
A
Agente
Programa de software que atua como ponto focal para coleta de dados e configuração de uma entidade específica de rede (hardware ou software). Os agentes SNMP oferecem dados para estações de gerenciamento relacionadas à operação e configuração de dispositivos em uma rede.
Alta Capacidade de Ruptura (HRC) (fusível)
Fusível preciso, que opera sob rígidas condições de falha de corrente, sem auto-destruição.
Alta Frequência
Para sistemas ininterruptos de energia, é a operação de acionar e de desacionar semicondutores de potência (IGBT e MOSFET) milhares de vezes por segundo.
Ampère (Amp ou A)
Unidade de medição para corrente. Um Ampère é a quantidade de eletricidade por segundo, que flui em um condutor, tal como um fio.
Arquivo de Configuração
Informação ou dados carregados no? módulo de supervisão que controla o comportamento de um sistema de energia Intergy, para adaptar as exigências particulares do local ou instalação do cliente.
AVC
Controle Ativo de Tensão.
ATS
Chave eletrônica microprocessada que alterna entre a fonte de alimentação principal para uma secundaria quando ocorre uma falta de energia, isso sem que as cargas percebam. Desta forma reduzindo os problemas de interrupção, aumentando a disponibilidade de energia e diminuindo os custos com manutenções.
Auto Transformador
Conversor de níveis de tensão e de corrente alternada sem a isolação elétrica entre a entrada e saída do mesmo.
B
Banco de Dados de Configurações
Conjunto total de parâmetros configuráveis.
Barramento de Carga
Barramento ao qual a carga é conectada.
Barramento do Retificador
Barramento ao qual as saídas dos retificadores estão conectadas.
Base de Informação de Gerenciamento (MIB)
Estrutura do banco de dados em um sistema de energia Intergy.
Bateria
Bateria ou um conjunto de baterias, cuja função é oferecer uma fonte de energia alternativa, caso a fonte principal for interrompida.
Baterias (Hot Swap)
Característica que possibilita que o usuário troque as baterias do UPS sem desenergizar a carga conectada.
Baterias Substituíveis pelo Usuário
Baterias substituíveis pelo usuário permitem que o mesmo troque facilmente as baterias do UPS, desde que a unidade esteja desligada.
Blecaute
Perda total da energia fornecida pela Concessionária (energia comercial).
Bloco Terminal
Base isolante equipada com terminais para conectar secundário e fiação de controle. Usado em equipamentos tais como UPS, quando os plugs de entrada e tomadas de saída estão impraticáveis ou indisponíveis.
Boost
Veja “Buck e Boost”
Bornes
Quando o equipamento conectado à sua fonte de energia por meio de cabos presos diretamente aos bornes, terminais ou painés de distribuição.
Buck e Boost
Processo de regulação de tensão usado quando uma situação de sobretensão ou subtensão ocorre no UPS. A subtensão é elevada (boost) para tornar a tensão maior e a sobretensão reduzida. O resultado é uma menor dependência da bateria do UPS, prolongando a vida total da bateria.
Bypass
Circuito usado para mudar o caminho da energia elétrica, de forma que ela desvie de seu caminho normal. No UPS, o circuito de bypass é usado para desviar a energia dos maiores dispositivos eletrônicos no UPS, de forma que possam ser realizada a manutençao sem interrupção de energia para a carga crítica.
Bypass Interno
Circuito do UPS que oferece um caminho de energia redundante. Se houver uma falha interna do UPS, a carga conectada ainda será alimentada com energia não-condicionada da Concessionária.
C
C10
Símbolo para capacidade de uma bateria em Ampère-hora, para descarga de 10 horas a uma tensão final especificada.
CA
Energia elétrica em corrente alternada fornecida pela Concessionária ou gerador de corrente alternada.
Cabo de Almentação de Entrada
Cabo conectados aos terminais de entrada do UPS. O conector do não conectado ao UPS é conectado, via plug de entrada, a uma tomada CA da Concessionária, fornecendo energia ao UPS.
Cabo de Modem Nulo
Cabo especial para conectar duas portas RS-232 ou dispositivos diretamente, ao invés de uma conexão de modem.
Capacidade da Bateria
Capacidade em Ampère-hora da bateria, a uma carga plena, temperatura padrão e a uma descarga especificada (normalmente C10).
Carga
Equipamento que recebe energia de um UPS.
Carga Lenta
Com o processo de carga lenta, a bateria recebe uma tensão constante, que alimenta uma corrente baixa. O uso constante deste método seca o eletrólito e corrói a placa, reduzindo a vida útil potencial da bateria em até 50 porcento.
Carga Rápida
Aumento da tensão de operação após uma descarga da bateria, seguida de uma falha da corrente alternada, para dar uma recarga rápida à bateria.
Carregador da Bateria
Dispositivo ou sistema que fornece a energia elétrica necessária para manter a bateria totalmente carregada.
CC
Corrente Contínua.
CE
Conformite Europeene (Conformidade Européia).
Chave de Transferência
Chave que irá transferir corrente de um caminho de circuito a outro, sem interromper o fluxo da corrente.
Chave Manual de Bypass (MBS)
Chave de transferência operada manualmente, usada para a desvio dos principais componentes eletrônicos do UPS, de forma que este pode ser atendido sem interrupção de energia para carga crítica.
Código Elétrico Nacional (“NEC”)
Código de padrões e práticas para a indústria elétrica e eletrônica dos Estados Unidos. Desenvolvido pela Associação Nacional de Proteção contra Incêndio (National Fire Protection Association), da Cidade de Quincy, Massachusetts Primeira publicação em 1896.
Compensação de Temperatura
Ajuste da tensão de saída do retificador que oferece tensão de carga otimizada para a bateria. Um dos componentes no controle de tensão do sistema, estimado pelo cálculo do Módulo de Supervisão, com base na temperatura da bateria.
Conexão Delta
Método de conectar uma fonte trifásica ou carga em série a um circuito fechado (3 fios mais terra).
Conexão em Y
Fonte trifásica de conexão de carga com uma junção comum única e linhas trifásicas externas ou internas.
Conformite Europeene (Conformidade Européia)
Marcação CE é usada para demostrar que um produto atende a todos os padrões de desempenho e segurança adotados pelos membros da União Européia e é, portanto, certificado para venda nos países da União Européia.
Contato Seco
Contatos isolados através dos quais o usuário final fornece um circuito externo. Os UPS de contato seco oferecem habilidade para comunicação básica, tal como monitoramento e parada (shutdown).
Controle Ativo de Tensão
Módulo de supervisão SM50 ajusta as tensões de saída do retificador para manter tensão constante do sistema (medida na saída ou na bateria), independente das flutuações de carga durante operação normal.
Conversor
Dispositivo que muda a energia elétrica de uma forma para outra, tal como de corrente alternada para corrente contínua.
Conversor Bi-Direcional
Dispositivo que muda (ou converte) energia em corrente alternada para energia em corrente contínua e vice-versa.
Corrente
Quantidade de eletricidade que flui através de um condutor, tal como um fio.
Corrente Alternada (CA)
Corrente que muda (ou alterna) a direção em intervalos regulares. Como a corrente flui em uma direção durante o mesmo tempo que flui na direção oposta, o valor médio do fluxo de corrente é zero.
Corrente Contínua (CC)
Tipo de corrente que nunca inverte sua direção. Como a corrente flui em uma única direção, o valor médio da corrente não pode ser zero, a menos que a corrente tenha deixado de fluir.
Corrente Máxima do Sistema
Corrente máxima que pode ser fornecida por um Sistema de Energia Intergy (excluindo-se as baterias), sob todas as condições. Normalmente, seu valor é 120% da corrente nominal do sistema.
Corrente Nominal do Retificador
Corrente máxima de saída de um retificador: 58V para um retificador de 48V (nominais) ou 29V para um retificador de 24V (nominais).
Corrente Nominal do Sistema
Soma das correntes nominais dos retificadores no sistema de energia Intergy.
D
Desconexão por Baixa Tensão (LVD)
Módulo no sistema de energia Intergy que desconecta a carga das baterias, quando a tensão das baterias cai abaixo de um valor pré-ajustado. O LVD reconecta a carga às baterias quando a tensão das mesmas subir acima de um valor pré-ajustado.
Disjuntor
Dispositivo para abrir (quebrar) ou fechar manualmente um circuito para interromper ou aplicar energia elétrica a um aparelho elétrico. Um disjuntor também pode abrir um circuito automaticamente, quando sente uma sobrecarga.
Display/Teclado do Painel Frontal
Interface com o usuário local do módulo de supervisão SM50.
Distorção Harmônica
Presença de harmônicas que mudam a forma de onda da tensão CA de uma simples forma senoidal a uma forma complexa. A distorção harmônica pode ser gerada por uma carga e realimentada para a linha CA da Concessionária, causando problemas de energia a outros equipamentos no mesmo circuito.
Distribuição CA
Módulo no sistema de energia Intergy que distribui energia em corrente alternada para outros módulos do sistema de energia Intergy.
Distribuição CC – Versão com Fusíveis (DCF)
Módulo de distribuição em corrente contínua que utiliza fusíveis para proteção.
Distribuição CC – Versão com Mini-Disjuntores (DCM)
Módulo de distribuição em corrente contínua que utiliza mini-disjuntores (MCBs) para proteção.
Distribuição em Corrente Contínua (DCD)
Módulo no sistema de energia Intergy que distribui energia em corrente contínua para as cargas. Também oferece proteção para os cabos de carga.
Divisão Atva de Carga
Esquema de divisão de corrente, controlado pelo módulo de supervisão SM50, que ajusta a tensão de saída individual dos retificadores, de forma que todos eles produzam a mesma corrente de saída no sistema.
Divisão de Corrente
Processo usado para equilibrar correntes de saída entre retificadores. Veja “Compartilhamento de Corrente Ativa”.
Dupla Conversão
Projeto de UPS no qual o caminho da corrente primária consiste em um retificador e inversor. A dupla conversão isola a energia de saída de todas as anomalias de entrada, tais como baixa tensão, surtos e variações de freqüência, convertendo CA em CC e em CA. Veja “UPS Online”.
E
Eficiência
Quociente da energia de saída do UPS sobre a energia de entrada da Concessionária. Isto mostra a porcentagem da energia de entrada que está disponível como energia de saída útil. Por exemplo, um UPS que possui eficiência 95%, entrega 95% da energia que ele recebe da Concessionária para a carga. A energia restante assume a forma de calor dissipado.
Em Bateria
Possibilita que o usuário energize o UPS na falta de energia da Concessionária.
EMC
Compatibilidade Eletromagnética.
Energia Bifásica
Energia que é fornecida por uma fonte única com duas saídas, que podem estar com defasagem de 180 ou 120º.
Energia Bruta
Energia elétrica que pode ou não conter sinais elétricos indesejados.
Energia CA
Energia elétrica fornecida pela Concessionária.
Energia Limpa
Energia elétrica que foi condicionada e/ou regulada para remover o ruído elétrico da energia de saída.
Energia Monofásica (1Ø)
Energia que é fornecida por uma fonte única, que normalmente inclui um fase energizada e uma linha de retorno aterrada (neutro).
Energia Trifásica (3Ø)
Energia que é fornecida por uma fonte única com três saídas, com uma diferença de fase de 120º entre duas das três tensões e correntes.
Entrada Digital
Entrada que reconhece circuito aberto e circuito fechado.
Equalizar
Processo de aumento da tensão de flutuação até a tensão de equalização para recarregar ou equalizar as baterias.
Evento
Ativação ou desativação de alarme.
F
Fator de Potência
Quociente da energia total real (W) sobre a energia total aparente em Volt-Ampère (VA) - W/VA.
Filtragem
Método de remover ruído da saída de um UPS, evitando que a “energia suja” atinja o equipamento conectado.
Firmware
Programa desenvolvido para um microcontrolador ou microprocessador.
Freqüência
Número de ciclos (oscilação positiva e negativa) completados em um segundo. Definido como Hertz (Hz). No Brasil, a energia da Concessionária completa 60 ciclos por segundo (60 Hertz).
G
Gerenciamento Avançado das Baterias
Sistema de carga em três estágios, projetado para prolongar a vida útil das baterias dos UPS. Por carregar as baterias somente quando necessário, a vida útil da bateria é melhorada significativamente. Estágio 1 de Carga: recarrega rapidamente a bateria até aproximadamente 90% de sua capacidade. Estágio 2 de Carga: carrega completamente a bateria a 100%. Estágio 3 de Carga: o modo “rest” (pausa) evita sobrecarga. O Estágio 1 de Carga é iniciado depois de uma interrupção de energia ou auto-teste periódico do UPS.
I
I/O
Entrada / Saída.
ICE
Software Editor de Configuração Intergy que roda em ambiente Windows 95 ou Windows NT e que permite a edição da configuração do módulo de supervisão SM50.
IGBT
Semicondutor de potência usado para conversão de energia. Se distingue do MOSFET por funcionar com tensão acima de 600V e potências superiores a 1kW.
ILS
Intergy Large Power System – fonte de energia de grande porte.
IMPS
Intergy Mini Power System – fonte de energia de pequeno porte.
Interface Gráfica com o Usuário
Sistema de computador que utiliza imagens gráficas na tela ao invés de texto, para exibir informações de aplicativos ao usuário. Como utilizado no software PowerManager.
Inversor
Máquina, dispositivo ou sistema que muda energia em corrente contínua para energia em corrente alternada.
IPS
Intergy Medium Power System – fonte de energia de médio porte.
Isolação
Separação (geralmente através do uso de um transformador isolador) de uma seção de um sistema das influências elétricas indesejadas de outras seções.
L
Largura de Banda
Dados que um cabo pode transportar, medidos em bits por segundos (bps).
LCD
Display de Cristal Líquido (LCD – Liquid Crystal Display).
LEDs
Diodos Emissores de Luz (LED – Light Emitting Diodes), localizados na parte frontal do UPS, que informam aos usuários as várias condições de energia e operações do UPS.
LEDs de Status
Diodos Emissores de Luz (LEDs) que mostram o status do UPS, quando ligados ou desligados.
Limite de Corrente da Bateria
Controle de tensão do sistema que limita a corrente de carga da bateria para um valor pré-ajustado.
Linha Interativa (Line Interactive)
UPS contendo um inversor off-line, que deve transferir energia durante um blecaute, mas que oferece tempos de transferência mais rápidos do que um UPS off-line. O condicionamento de energia e a supressão de surto são fornecidos para proteger a carga conectada.
Log (log de eventos)
Registro de ocorrências de eventos relevantes ao funcionamento do Nobreak. Por exemplo, falha de rede, bateria baixa e etc.
LogAgent
Dispositivo de comunicação usado para obter os dados de funcionamento dos nobreaks comercializados pela Logmaster.
LogWeb
Um conjunto de páginas desenvolvidas para configurar o nobreak e para mostrar os dados de funcionamento do mesmo.
M
Mapeamento
Processo de atribuição de entidades físicas à entidades lógicas, por exemplo, quando um canal analógico particular (interno ou externo) é atribuído como sendo o canal usado para medir a tensão do barramento.
MCB
Mini-disjuntor. Dispositivo de proteção do circuito e precisamente dimensionado.
MDV
Varistor de Óxido de Metal. Dispositivo semi-condutor não linear usado para proteção contra surtos ou limite de tensão.
Medição CA
Medição de parâmetros de corrente e tensão de entrada de energia em corrente alternada, por amostragem. Os resultados das medições são usados para calcular os rms equivalentes para tensão, corrente e potência e, também, para calcular o fator de potência e freqüência.
Método de Discriminação de Rampa
Esquema que faz com que o ponto de ajuste do desligamento (shutdown) por sobretensão caia com o aumento da carga.
Módulo de Supervisão (SM20, SM30 ou SM50)
Módulo que monitora e controla a operação do sistema de energia em corrente contínua.
Módulos de Energia Permutáveis a Quente
Característica que possibilita que o usuário troque os módulos de energia do UPS sem desenergizar a carga conectada.
Mosfet
Semicondutor de potência usado para conversão de energia. Se distingue do IGBT por funcionar com frequências acima de 200kHz.
N
UPS em Rack (“Rackmount”)
UPS que pode ser montado em um rack juntamente com servidores, hubs e outros dispositivos.
UPS Escalável
UPS que permite a expansibilidade; por exemplo, possibilita que um UPS acomode uma carga maior através da aquisição de módulos de energia adicionais.
UPS Off-Line
Tipo de UPS que alimenta energia para a carga diretamente da Concessionária e, então, a transfere para a bateria, através de um inversor, depois que a energia da Concessionária cair abaixo de uma tensão especificada. A demora entre a perda de energia da Concessionária e a partida do inversor pode ser longa o suficiente para interromper a operação de algumas cargas sensíveis. Também chamado de UPS de standby.
UPS On-Line
UPS onde o inversor está ligado, durante condições normais de operação, fornecendo energia condicionada à carga, através de um inversor ou conversor que constantemente controla a saída CA do UPS, independente da entrada da Concessionária. No caso de uma falha de energia da Concessionária, não há demora ou tempo de transferência para a energia de reserva (backup).
UPS On-Line Paralelo
Tecnologia de UPS on-line que oferece fontes redundantes de energia reserva condicionada, de forma que a carga crítica seja protegida, mesmo no caso de falha de componentes do UPS.
O
Onda Quadrada
Forma de onda na saída gerada por UPS muito básicos e de baixo custo. Funciona adequadamente para cargas menos sensíveis, mas não pode oferecer entrada de qualidade aceitável para alguns tipos de equipamentos eletrônicos.
Onda Senoidal
Forma de onda senoidal exibida pela corrente alternada.
P
Parada (Shutdown) de Emergência
Usada para desligamento rápido ou instantâneo de toda energia elétrica disponível ao UPS e à carga. Um dispositivo de parada de emergência é normalmente usado durante uma crise, para evitar danos ao UPS e à carga. Algumas instalações da sala de computadores requerem capacidade de Desligamento Remoto de Emergência (REPO – Remote Emergency Power Off) como parte de seu sistema de proteção/ segurança.
Parada (Shutdown) por Sobretensão
Método de proteção que irá desligar qualquer módulo retificador com uma tensão de saída acima de um valor máximo pré-ajustado.
Parâmetro
Valor de configuração que o usuário pode ajustar no banco de dados de configuração do módulo de supervisão SM50. Este valor é armazenado em memória Flash não- volátil. Por exemplo: Tensão de Flutuação do Sistema.
Parâmetro Configurável
Item que é armazenado na memória não- volátil do módulo de supervisão SM50 e que define alguma parte da operação do SM50. Todos os parâmetros configuráveis podem ser ajustados através do Editor de Configuração Intergy. A maioria também pode ser ajustada a partir do teclado e display do SM50 ou do PowerManager.
Partida Gradativa
Processo de aumentar gradualmente a tensão (e corrente) de saída do retificador na partida, para evitar um grande surto da corrente de entrada.
Placa Entrada/Saída
Placa componente no monitor do SM50. Esta placa é usada para agrupar entradas digitais e analógicas do sistema e controlar saídas digitais.
Plena Carga
Maior carga que um circuito é projetado para transportar sob condições específicas; qualquer carga adicional é considerada uma sobrecarga.
Plug de Entrada
Conectado ao terminal do cabo de alimentação de entrada. A ser ligado a uma tomada CA da Concessionária.
Porta do Host
Porta serial usada para conectar o módulo de supervisão SM50 a um computador remoto, via conexão da RS-485 ou RS-232C.
Porta RS-232 do Painel Frontal
Interface serial do painel frontal do módulo de supervisão SM50, usada para configuração local através de um computador laptop.
Porta Serial do Host
Uma das duas portas seriais (RS-232C ou RS-485) com conectores na parte traseira do módulo de supervisão SM50.
Protetor Transiente de Rede
Conector RJ11 para proteção de modem/telefone (somente modelos em 120V) ou RJ45 para cabo de rede 10Base-T. Ele isola os equipamentos conectados, tais como modem e aparelhos de fax contra surtos de energia.
Protocolo Simples de Gerenciamento de Rede (SNMP – Simple Network Management Protocol)
Protocolo solicitação que coleta informações de gerenciamento dos dispositivos de rede e oferece um meio para ajustar e monitorar os parâmetros de configuração.
PSTN
Rede Pública Chaveada de Telefonia (PSTN – Public Switched Telephone Network).
R
Rede Heterogênea
Rede com várias estações de trabalho e sistemas operacionais e uma variedade de tipos de aplicações de diferentes fornecedores.
Rede Homogênea
Rede de componentes – estação de trabalho, servidor, sistema operacional do mesmo fornecedor ou equipamentos compatíveis que percorrem a mesma rede ou o mesmo sistema operacional.
Redundância
Duplicação de elementos em um sistema ou instalação para otimizar a confiabilidade ou continuidade da operação.
Redundância N+X de UPS
Forma de redundância que oferece operação confiável do UPS, por eliminar todo ponto único de falhas no sistema.
Regulação
Método de limitar a tensão a um range estreito.
Reserva
Tempo de bateria restante para terminar a descarga.
Retardo de Saída
Demora entre o início de um chaveamento no lado primário e o início da partida gradativa da corrente de saída. Isto ocorre em duas partes: um retardo fixo no hardware, controlado pelos circuitos de controle do lado secundário, e um retardo ajustável, controlado pelo microprocessador. Durante este período, a tensão de saída encontra-se no valor mínimo, a aproximadamente 40V.
Retificador
Módulo encaixado no sistema de energia Intergy que converte a energia de entrada CA em energia de saída CC regulada.
RFI
Interferência de Radiofreqüência (RFI – Radio Frequency Interference).
RM
Shelf do Retificador (RM – Rectifier Magazine).
RS-232
Também chamado portas seriais; método de comunicar informações digitais no qual os bits de dados são transmitidos seqüencialmente em uma linha.
RS-232C
Configuração de hardware comum ponto-a-ponto para comunicações seriais.
RS-485
Configuração de hardware com múltiplos terminais para comunicação serial. Não há método intrínseco de detecção de colisão de barramento no RS-485, assim camadas mais elevadas na pilha de protocolo devem levar isto em consideração.
Ruído
Sinais elétricos de multi-freqüência, esporádicos ou aleatórios, que se tornam parte de uma transmissão, tornando o sinal ou a informação mais difíceis de serem identificados.
S
Saída Digital
Contato de relé sem tensão.
Segmentos de Carga
Grupos de tomadas no painel traseiro de um UPS, que podem ser controlados independentemente.
Seleção de Carga
Habilidade para desligar de forma seletiva um conjunto de tomoadas de saída do UPS, prolongando a capacidade da bateria do UPS. Alguns modelos de UPS da Powerware são capazes de selecionar cargas menos críticas, desligando os tomadas de saída selecionados durante uma falha de energia prolongada, enquanto mantêm a energia para carga(s) mais crítica(s) nos tomadas restantes de saída.
Sensor de Temperatura
Sensor que é usado para produzir uma saída elétrica variável, representando a temperatura de um componente, tipicamente uma bateria.
Shelf do Retificador
Módulo no sistema de energia Intergy usado para conectar os retificadores a outros módulos no sistema de energia Intergy.
Sistema de Energia
Módulo montado em rack, rack individual ou vários racks conectados em paralelo, fornecendo energia CC a um único barramento CC.
Sistema de Energia de Standby
Veja “UPS Off-Line”.
Sistema de Energia Ininterrupta (UPS ou UPS)
Sistema projetado para fornecer energia automaticamente, sem retardo ou transientes, quando o fornecimento normal é incapaz de fornecer energia aceitável. Alguns UPS também filtram e/ou regulam a energia da Concessionária.
SNMP
Protocolo Simples de Gerenciamento de Rede (SNMP – Simple Network Management Protocol).
Sobrecarga
Condição na qual a carga exige mais da fonte de energia (tal como um UPS) do que a fonte de energia foi projetada para fornecer.
Software de Gerenciamento de Energia
Oferece monitoramento e desligamento (shutdown) do UPS e da carga conectada.
Stepwave
(Onda Senoidal Modificada) Versão otimizada de onda quadrada, que fornece entrada adequada para algumas cargas mais sensíveis, mas ainda não de tão alta qualidade quanto a onda senoidal.
Subtensão
Redução na tensão fornecida pela Concessionária, sem perda completa de energia.
Surto
Onda transiente (ou momentânea) de corrente, potencial ou energia em um circuito elétrico.
T
Tempo de Partida Gradativa
Tempo que o retificador leva para atingir a corrente nominal de saída depois do Retardo da Partida. A rampa é fixada de forma que uma corrente de saída inferior terá um período menor de partida gradativa.
Tensão de Flutuação
Tensão de saída ajustada do sistema de energia em corrente contínua (não incluindo compensação de temperatura ou outros ajustes).
Tensão do Barramento
Tensão real fornecida à carga conforme medida no barramento.
Tensão do Retificador
Tensão à qual os retificadores estão ajustados. Assume-se que esta seja a mesma para cada retificador e não inclua ajustes de divisão de corrente.
Tensão do Sistema
Tensão nominal do sistema de energia Intergy, igual à tensão nominal dos módulos retificadores. 48 V ou 24 V.
Tensão Nominal do Sistema
Tensão de saída CC geralmente usada para descrever um tipo de sistema, normalmente de 24V ou 48V.
Tensão Operacional
Tensão configurada no SM50, para ser mantida na carga, após ajustes para compensação de temperatura, equalização, etc.
Tensão Padrão do Hardware
Tensão operacional de segurança da saída do retificador usada em caso de falha do microprocessador do retificador.
Tensão Pré-Ajustada
Tensão que um retificador irá pré-definir, caso a comunicação com o Módulo de Supervisão seja perdida. Geralmente, ela é ajustada à tensão de flutuação pelo Módulo de Supervisão.
Tensão Pré-Ajustada do Sistema
Tensão pré-ajustada é normalmente definida pelo cliente, de acordo com a tensão nominal do sistema e a temperatura ambiente da bateria. Esta é a tensão de saída que o retificador utiliza no caso de uma falha de comunicação com o módulo de supervisão SM50. Ela é ajustada à tensão do sistema especificada pelo cliente durante o teste final, mas pode ser alterada via SM50 ou painel frontal do retificador (se fornecido).
Terminal
Conector para prender um condutor a um aparelho elétrico.
Terra
Condutor conectado entre um circuito e o solo.
Tolerância de Falha
Habilidade de um sistema em continuar operando no caso de uma falha.
Tomada
Qualquer ponto em um sistema de fios onde a corrente é tomada para fornecer energia elétrica à uma carga.
Tomadas
Dispositivo de contato projetada para aceitar um plug único. As tomadas na parte traseira do UPS aceitam plugs do equipamento alimentado, tais como computadores ou monitores.
Topologia do UPS
Termo global que descreve o circuito interno de um UPS. Há três topologias básicas de UPS: standby (off-line), line interactive e on-line.
Transformador
Dispositivo que aumenta ou diminui a tensão de uma fonte elétrica de corrente alternada.
Transformador Isolador
Transformador de múltiplo enrolamento com enrolamentos primários e secundários fisicamente separados. Embora os dois enrolamentos estejam fisicamente desconectados, o campo magnético no enrolamento do primário cria (induz) energia elétrica no enrolamento secundário. Desta forma, a energia elétrica disponível na entrada pode ser transferida para a saída. Um transformador isolador não transfere ruído indesejado e transientes do circuito de entrada para os enrolamentos de saída. Esta atenuação ou redução em amplitude pode ser tão alta quanto um milhão para um.
Transiente
Mudança rápida e radical em u0ma onda senoidal suave, que ocorre tanto em formas de onda de corrente quanto de tensão, durante a transição de uma condição operacional estável a outra.
U
UL
Underwriters Laboratories. Organização de aprovação sediada nos Estados Unidos.
V
Valor Nominal
Valor designado, aceito por conveniência. Por exemplo, tensões nominais são valores atribuídos a circuitos, de forma que as tensões dos circuitos possam ser convenientemente descritas como unidades nominais de 120 Vca ou 230 Vca.
Volt (V)
Unidade de medição para tensão. Tensão é a pressão elétrica que força a corrente a fluir em um condutor, tal como um fio.
Volt-Ampère (VA)
Tensão (V) multiplicada pela corrente (A); energia aparente. Por exemplo, um dispositivo dimensionado para 10 A e 120 V tem potência de 1200 VA ou 1.2 kVA.
W
Watt (W)
Unidade de medição para energia real. Watts = VA x Fator de Potência.
Logmaster, especialista em Energia Ininterrupta
Uma empresa nacional dedicada à fabricação de sistemas de energia, nobreaks e estabilizadores.
Saiba Mais
Assine nossa Newsletter

Logmaster Tecnologia Ltda
+55 51 2104 9005 | logmaster@logmaster.com.br
Rua Santos Pedroso, 237 - Navegantes - Porto Alegre - RS | CEP: 90240-180
Mapa do site
Soluções e Produtos
  Nobreaks
   - Monofásicos
   - Trimonos
   - Trifásicos
  Estabilizadores
   - Monofásicos
   - Trifásicos
  Gerenciamento
   - Contato Seco PcomCS
   - Software LogWeb®
  Chave de transferência automática
   - ATS 60/80A
   - PDU
   - ATS 20A
  Acessórios e opcionais
   - Bateria Selada VRLA
   - Gabinetes
   - Bateria Estacionária
Portal do parceiro
  Nobreaks
   - Monofásicos
   - Trimonos
Nós ligamos para você
Orçamento